Olhos de Ina / POR Johnny Guimaraes
28 de julho de 2017

Seus olhos e meu poema

Com o poema tudo posso!


Com ele pulo

Driblo, corro e tropeço


Nos seus olhos

 

Com ele quebro

Desestruturo e

Por fim me embolo


Nos seus olhos


Fujo com palavras

Finjo que vôo,

Mergulho e empino

Caindo aqui


Nos seus olhos


Rodopio meu poema

Em torno deles


Me torro e queimo

Em sua órbita


Seus olhos são a chama do meu poema atrapalhado?


“- Com o poema você nada pode.”

Meus livros à venda
Outras Publicações
Menu